palavras do Guruji

Dani na estrada

viagens pelo mundo afora e pelo universo dentro de mim.



"Você não precisa viajar a um lugar remoto para buscar a liberdade; ela habita seu corpo, seu coração, sua mente, sua Alma. A emancipação iluminada, a liberdade, a pura e imaculada felicidade estão a sua espera, mas você precisa escolher embarcar na jornada interior para descobri-las."
B.K.S. Iyengar em Luz na Vida

28 de outubro de 2015

Āsanas de Outubro: Utthita Trikoṇāsana & Ardha Chandrāsana

Meia lua nascente no triângulo



Utthita Trikoṇāsana no cavalo

Ardha Candrāsana no cavalo


Utthita Trikoāsana

Utthita significa estendido.
Trikona, triângulo.

A postura do triângulo estendido vem classificada no “Light on Yoga” de BKS Iyengar com o grau de intensidade 3. É a terceira postura do livro, atrás apenas de Tāāsana e Vkāsana. Apesar de ser uma postura básica e uma das primeiras a ser aprendida, continua sendo praticada regularmente nas aulas de Iyengar Yoga.
É tão importante e representativa que Prashant Iyengar escreveu o livro “Alpha & Omega of Trikonasana”, onde fornece uma abordagem sistemática sobre a pratica de āsanas usando como exemplo específico o Trikoāsana.
Seus efeitos são: tonifica os músculos das pernas e remove a rigidez das pernas e quadris, além de alongar os tornozelos. Quando feita no cavalo (fotos acima) é especialmente benéfica para aliviar dor nas costas, no pescoço e para ajudar a abrir o peito e ampliar a caixa torácica. Essa variação também é recomendada para quem sofre de problemas nos joelhos e pelve.

Ardha Candrāsana

Ardha significa metade.
Candra, lua.

A postura lembra uma meia lua, daí o nome. Vem classificada com o grau de intensidade 5 no “Light on Yoga” e é como uma continuação de Utthita Trikoāsana.
Seguindo a maneira clássica de entrar na postura, fazemos Trikoāsana primeiro e em seguida passamos pra Ardha Candrāsana. O peso do corpo deve ficar somente na perna de base e no quadril deste mesmo lado e a mão no chão apenas dá suporte para controlar o equilíbrio. A perna de base deve ficar perpendicular ao chão e a elevada, paralela.
B.K.S. Iyengar lista os seguintes efeitos da postura no “Light on Yoga”: ‘a postura é benéfica para quem tem pernas machucadas ou deformadas. Tonifica a parte baixa da coluna e os nervos conectados com os músculos das pernas, e alonga os joelhos. Juntamente com outras posturas em pé, esse āsana cura problemas gástricos’.
A variação da postura feita no cavalo (foto acima) está presente em sequências terapêuticas para diversos problemas. É uma postura especialmente benéfica para as mulheres. Com o cavalo é indicada durante o período menstrual, gravidez e para quem sofre com períodos menstruais difíceis e doloridos.


Para mais informações sobre o cavalo, acessório também chamado de trestler, leia post “Cavalo: novo prop da Shala Rosa”, publicado em 6 de janeiro de 2014.

*Fotos Ana Sardinha