palavras do Guruji

Dani na estrada

viagens pelo mundo afora e pelo universo dentro de mim.



"Você não precisa viajar a um lugar remoto para buscar a liberdade; ela habita seu corpo, seu coração, sua mente, sua Alma. A emancipação iluminada, a liberdade, a pura e imaculada felicidade estão a sua espera, mas você precisa escolher embarcar na jornada interior para descobri-las."
B.K.S. Iyengar em Luz na Vida

23 de novembro de 2015

Āsana de novembro: Padmāsana


O despertar da energia cósmica em nós

Padmāsana

Padma = Flor de lótus.





variação da posição das mãos na postura

A postura do lótus é uma das mais importantes. É um āsana de meditação e Buda é geralmente representado sentado desta forma.
Padmāsana é usado para despertar a Kuṇḍalinī, energia cósmica divina no corpo, simbolizada por uma serpente enrolada que dorme no centro energético sutil localizado na base da coluna vertebral. Essa energia latente deve ser despertada para subir até o cérebro pela coluna vertebral, através do canal energético Suumnā Nādi passando pelos 6 chackrās (6 centros energéticos sutis do corpo).
É uma postura básica, que possui muitas derivações e é muito usada nas variações de Sīrāsana e Sarvāngāsana. Vem classificada por BKS Iyengar no “Light o Yoga” com o grau de intensidade 4.

Efeitos de Padmāsana do “Light on Yoga” (tradução livre)

Depois que as dores iniciais nos joelhos foram superadas, Padmāsana é uma das posturas mais relaxantes. O corpo, estando na posição sentada, descansa sem colapsar. A posição com as pernas cruzadas e coluna ereta mantem a mente atenta e alerta, por isso, Padmāsana é uma postura recomendada para fazer prāāyāma. No nível puramente físico, é indicada para dar flexibilidade aos joelhos e tornozelos. Como o sangue é levado a circular na região lombar e do abdômen, a coluna e os órgãos abdominais são tonificados.

Baddha Padmāsana 

(uma das muitas posturas derivadas de Padmāsana)

Baddha = pego, preso, restrito, contido, agarrado. Nesta postura os antebraços se cruzam nas costas e os dedões dos pés são pegos com as mãos por trás. O corpo fica contido entre as pernas cruzadas na frente e as mãos cruzadas atrás, por isso o nome.





Ao fazer Padmāsana, comece flexionando primeiro o joelho direito e posicione o pé direito na raiz da coxa esquerda, em seguida, flexione o joelho esquerdo, posicionando o pé esquerdo na coxa direita. Com as pernas nesse cruze, leve primeiro o braço esquerdo para trás aproximando a mão esquerda do quadril direito e pegue o dedão do pé esquerdo. Em seguida, leve o braço direito para trás. Desta forma, a ordem correta do cruze das pernas e dos braços é a seguinte: ao dobrar o joelho direito primeiro para Padmāsana, leve o braço esquerdo primeiro para trás para Baddha Padmāsana. Depois desfaça a postura e troque os cruzes.


O cruze dos braços atrás das costas expande o peito e aumenta a gama de movimentos dos ombros. A postura vem classificada com o grau de intensidade 6.