palavras do Guruji

Dani na estrada

viagens pelo mundo afora e pelo universo dentro de mim.



"Você não precisa viajar a um lugar remoto para buscar a liberdade; ela habita seu corpo, seu coração, sua mente, sua Alma. A emancipação iluminada, a liberdade, a pura e imaculada felicidade estão a sua espera, mas você precisa escolher embarcar na jornada interior para descobri-las."
B.K.S. Iyengar em Luz na Vida

23 de dezembro de 2011

UM 2012 COM MUITO MAIS AMOR!


No Natal da minha infância, o forte foi sempre o almoço do dia 25. Eu adorava: a família reunida lá na casa dos meus pais; a abertura dos presentes; as brincadeiras na rua com os vizinhos; as comidas deliciosas de Natal...
Minha família nunca foi a mais tradicional em relação ao servido à mesa: Perus, Chesters e “aves especiais” não faziam sucesso. O que me fazia salivar era o tender com abacaxi em calda; eu gostava da mistura do salgado do presunto com o doce do abacaxi.
Os anos se passaram, cresci, aprendi que tender é um preparado de carne defumada de porco morto e mudei meus hábitos alimentares.
Há mais de 10 anos, no Natal ou em qualquer outra data, não salivo por presuntos, salames, bifes, filés, postas ou medalhões feitos a partir da carne de animal algum.
No meu carro, colei o adesivo: Animais são amigos e não comida. Não dá pra pensar em matar meus amigos, nem mesmo quando alguém já fez o trabalho sujo e o amigo vem mortinho e limpinho no meu prato.
Nesse ano, o almoço natalino vai ser na minha casa. No cardápio, salada de quinua, bobó de pupunha, farofa de maracujá, arroz, furtas secas, castanhas, pavê de abacaxi, sorvete de creme.
Mas não consegui impedir: minha mãe vai preparar uma bacalhoada na casa dela pra levar no dia 25. Meus pais, meu irmão e minha avó adoram e eu não quis dar uma de chata.
Antes de servir o almoço, porém, vou sugerir uma oração para agradecermos àquela comida maravilhosa, à natureza por ser tão generosa, aos trabalhadores que garantiram que a comida estivesse à mesa e principalemente à aquele bacalhau que deu a própria vida para alimentar parte da minha família nesse Natal.

BOAS FESTAS E UM 2012 COM MUITO MAIS AMOR, GENTILEZA E COMPAIXÃO!

Receitas:
• Bobó e farofa: Michele Maia do blog Vegê Gourmê http://michelevege.blogspot.com
• Pavê de abacaxi e salada de quinua: livroCozinha Natural Gourmet – A Culinária de Tatiana Cardoso e o restaurante Moinho de Pedra”.

Alguns números assustadores:
Matéria do site português http://www.centrovegetariano.org/

Animais abatidos em 2003 (por ordem decrescente):
- Galinhas e frangos: 45 biliões e 900 milhões
- Patos: 2 biliões e 260 milhões
- Porcos: 1 bilião e 240 milhões
- Coelhos: 857 milhões
- Perus: 691 milhões
- Gansos: 533 milhões
- Carneiros, ovelhas, cordeiros: 515 milhões
- Cabras: 345 milhões
- Bois, vacas, vitelos: 292 milhões
- Roedores: 65 milhões
- Pombos e outras aves: 63 milhões
- Búfalos: 23 milhões
- Cavalos: 4 milhões
- Asnos, mulas, machos: 3 milhões
- Camelos e outros camelídeos: 2 milhões

A soma de todos estes números prefazem um total de mais de 50 bilhões de animais, sem ter em conta os animais aquáticos (peixes e crustáceos).
Os números referem-se apenas aos animais abatidos nos matadouros. Excluem-se os animais de criação extensiva (geralmente para consumo doméstico) assim como os que são alvo da caça.
Tendo em conta que um omnívoro consome em média 95 animais por ano e que a população mundial não-vegetariana é de biliões, depreende-se que o número exacto de animais mortos para a alimentação humana será muito superior àquele que os dados da FAO nos fornece. Sabe-se que só nos EUA se consomem anualmente mais de 10 biliões de animais.
Sendo que a esperança média de vida em Portugal é de 75 anos, um omnívoro consome cerca de 7100 animais durante a sua vida
.

crédito da imagem: Google images



14 de dezembro de 2011

Parabéns querido Guruji*!


14 de Dezembro é uma data muito especial pra comunidade do yoga. Hoje B.K.S. Iyengar completa 93 anos de idade; 77 anos de prática constante e 75 como professor!
Bellur Krishnamachar Sundararaja (BKS) Iyengar nasceu no dia 14 de Dezembro de 1918 em Bellur, Índia. Sua infância foi muito difícil: ele foi vítima de malária, febre tifoide e tuberculose.
Aos 16 anos, foi introduzido ao yoga pelo seu Guru e cunhado, Sri T. Krishnamacharya e aos 18, foi mandado pra Puna, no Estado de Maharashtra, para ensinar e difundir o Yoga, pois sabia um pouco de inglês.
Sem a presença e os ensinamentos do seu Guru, em Pune Iyengar teve que embarcar na jornada interior sozinho, se dedicando com total comprometimento e sinceridade à sua pratica pessoal e aos alunos.
Mesmo pra quem não pratica Yoga, é emocionante ver B.K.S. Iyengar no Ramamani Iyengar Institute, em Puna, onde ele mora e ensina. Na última vez que estive lá, em 2009, todas as manhãs eu me surpreendia com sua presença na sala de prática fazendo asanas em longas permanências. Em Junho último, Iyengar esteve na China, onde aos 92 anos, ensinou multidões com energia e disposição indescritíveis. Muito inspirador!
Com eterno carinho e gratidão, felicito B.K.S. Iyengar!
* Guruji é uma maneira carinhosa de chamar o Guru (Mestre ou professor que dissipa a escuridão).