palavras do Guruji

Dani na estrada

viagens pelo mundo afora e pelo universo dentro de mim.



"Você não precisa viajar a um lugar remoto para buscar a liberdade; ela habita seu corpo, seu coração, sua mente, sua Alma. A emancipação iluminada, a liberdade, a pura e imaculada felicidade estão a sua espera, mas você precisa escolher embarcar na jornada interior para descobri-las."
B.K.S. Iyengar em Luz na Vida

21 de dezembro de 2012

fortalecendo a prática pessoal nas férias

Praticar sozinho é uma experiência muito rica que complementa as aulas em grupo, e essa época de Festas e de recesso da Shala Rosa é uma ótima oportunidade de desenvolver a prática pessoal.
Pra quem fica desanimado de praticar sozinho e sem idéia de como sequenciar uma prática, aqui vai uma força: pesquise pelo post Yoga nas Férias no PESQUISAR NESSE BLOG, que aparece no canto superior direito. 
Lá você encontra 4 sequências de 9 a 10 asanas simples preparadas pelos professores do Iyengar Yoga Institute of New York. Você pode começar seguindo as sequências e depois ordenar os asanas sugeridos como bem quiser.
Supta Baddhakonasana não aparece nas sequências, mas é um ótimo coringa. Pode ser feito antes de começar, quando estamos muito cansados, ou no final da prática, como encerramento.
Se você tem kuruntas em casa, aproveite pra aumentar sua permanência em Sirsasana, que nessa variação com o suporte das kuruntas é muito restaurativo e vai te encher de energia.
Lembrem-se de sempre fazer Sirsasana (em qualquer das variações: kurunta, contra a parede ou meio da sala dependendo do nível de sua prática e da disponibilidade de material) ANTES de Salamba Sarvangasana, que pode ser deixado mais pro final. 
Boas práticas e até 2013!

                 postura do Cachorro com cabeça pra baixo (Adho Mukha Svanasana)


E lembrem-se:
  • As aulas na Shala Rosa recomeçam no dia 23 de Janeiro (4ª feira).
  • A partir de Fevereiro 2013, teremos mais um horário de prática: 3ª e 5ª feira, das 10h30 às 12h. 

15 de dezembro de 2012

Vida longa ao nosso querido Guruji!

Dedicamos nossa prática de hoje à B.K.S. Iyengar que completou 94 anos ontem, dia 14 de Dezembro.
Com muito carinho e gratidão, homenageamos nosso mestre que dedicou quase 80 anos de sua vida à investigação e ao ensino do yoga.
É uma benção contar com um mestre vivo, que apesar da distância, continua nos inspirando através de sua prática constante.

Agradeço a participação de todos!


                                                     Vida longa ao nosso querido Guruji!

Alguns instantes em silêncio antes da prática...

... relaxamento profundo em Savasana depois.


30 de novembro de 2012

Aniversário B.K.S. Iyengar

Vamos celebrar juntos?



नमस्ते queridos yogis e yoguinis,

No dia 14 de Dezembro, nosso querido Guruji B.K.S. Iyengar completa 94 anos! 


E é com grande alegria que celebraremos o aniversário dele em um aulão de 2 horas realizado no dia 15, sábado, às 10h.


Todos são bem-vindos! Tragam amigos (as), familiares, namorados (as) e afins.


Será cobrada uma contribuição de R$10 aos participantes que não são alunos da Shala Rosa. Pros alunos é free!


Favor confirmar a presença pra eu organizar a aula.

FIM DE ANO


As aulas na Shala Rosa vão até o dia 22 de Dezembro (sábado) e retornam no dia 23 de Janeiro 2013 (4ª feira). Vou passar um mês praticando na Índia. Voltarei recarregada e cheia de novidades!

PROMOÇÃO

Os alunos que fizerem planos de 2X por semana em Dezembro, ganham prática livre (quantas aulas quiser!) em Dezembro e na última semana de Janeiro.



15 de novembro de 2012

Invocação a Patañjali

Seguindo um costume da Índia de iniciar qualquer estudo ou aula entoando mantras ao mestre, no início de toda pratica de Iyengar Yoga invocamos o mantra do sábio Patañjali, que escreveu os Yoga Sutras.



पतञ्जलिध्यानश्लोकम्
Patañjalidhyaanaslokam (sílabas com 2 vogais são sílabas longas e possuem 2 tempos, esse “s” tem som de “sh”)


योगेन चित्तस्य पदेन वाचां मलं शरीरस्य च वैद्यकेन ।  
yogena cittasya padena vaacaam malam sariirasya ca vaidyakena (o “c” sempre tem som de “tch” e o 1º “s” de sariirasya tem som de “sh”)

योऽपाकारोत्तं प्रवरं मुनीनां पतञ्जलिं प्राञ्जलिरानतोऽसि्म ।।
yo’paakarottam pravaram muniinaam patañjalim praañjaliraanato’smi

अाबाहुपुरुषाकारं शङ्खचक्रासिधारिणम् ।
aabaahupurusaakaaram sankhacakraasidharinam (sempre “h” tem som de “rr”, o 1º “s” é retroflexo e pronuncia-se girando a língua pra trás e o 2º “s” tem som de “sh”) 

सहस्रशिरसं श्वेतं प्रणमामि पतञ्जलिम् ।।
sahasrasirasam svetam pranamaami patañjalim (o 3º “s” de sahasrasirasam e o de svetam tem som de “sh”)

हरि अौं ।
hari om


Entenda a invocação


Inclino-me perante ao mais nobre dos sábios, Patañjali, que nos deu o yoga para serenidade e santidade da mente, gramática para clareza e pureza da fala, e medicina para saúde perfeita.
Inclino-me diante de Patañjali, encarnação de Adishesha, cujo corpo superior tem forma humana, que segura em uma das mãos uma concha, na outra um disco e na terceira a espada da sabedoria para eliminar a ignorância, e que é coroado por uma serpente de mil cabeças.


Sobre o sábio Patañjali    


Patañjali foi a primeira pessoa a apresentar a tradição antiga do Yoga de um modo sistemático. Por isso, ele é considerado o fundador do Yoga e viveu por volta de 200 AC.
Existe uma estória interessante sobre o nascimento de Patañjali. Sua mãe, Gonika, foi uma mulher muito piedosa. Um dia, enquanto tomava banho no rio, Gonika rezou para o deus Sol, “Ó Senhor, por favor me dê um filho glorioso.”
Em resposta ao pedido, o deus sol pediu à sábia serpente Shesha (ou Ananta) para que ela nascesse como filho de Gonika.
Instantaneamente a grande Shesha se transformou em uma pequenina serpente e pingou entre as palmas de Gonika que estavam unidas em prece. A pequenina serpente então se transformou em um lindo bebê menino. Gonika ficou maravilhada! Ela nomeou o bebê Pata-anjali. Pata, em sânscrito, significa caindo e anjali significa palmas em prece.
Patañjali cresceu para se tornar um extraordinário homem, reconhecido por seu conhecimento e sabedoria. Ele foi o autor de três tratados brilhantes. Um sobre gramática de Sânscrito. O segundo foi um tratado sobre a antiga medicina indiana, Ayurveda.
O terceiro e mais importante é sobre Yoga. É chamado de Yoga Sutras de Patañjali. Nesse tratado breve, contendo somente 196 dizeres, Patañjali claramente explica o que é Yoga.

traduzido do livro “Yoga for Children” de Swati e Rajiv Chanchani


Em um dos cursos que o professor Faeq Biria ministrou aqui em SP, ele iniciou a prática entoando o mantra no sistema de perguntas e respostas e a equipe do Yoga Journal Brasil gravou.


18 de outubro de 2012

gotas de... sabedoria ...em gotas

A maioria das frases a seguir, garimpeie na página do facebook do truebook.org (entra lá se quiser mais). Gosto de ler (algumas, reler),  meditar a respeito, sentí-las no meu corpo, reconectar...
Boa viagem!

Nós não vemos as coisas como elas são, vemos as coisas como nós somos.

Ela decidiu começar a viver a vida que imaginou. Ela acreditou que podia, então o fez.
... e ela substituiu o medo do desconhecido por curiosidade. Ela olhou em volta, e a vida era maravilhosa.


“É surpreendente quantas pessoas atravessam a vida sem nunca reconhecer que seus sentimentos em relação aos outros são largamente determinados por seus sentimentos em relação a si mesmos, e se você ñ está confortável consigo mesmo, você não consegue estar confortável com os outros.” – Sidney J. Harris


“E aqueles que foram vistos dançando foram considerados insanos por aqueles que não podiam ouvir a música.” – Nietzche


“Toda vez que você for tentado a reagir da mesma velha maneira, se questione se quer ser um prisioneiro do passado ou... um pioneiro do futuro.” – Deepak Chopra


Você é confinado apenas pelas paredes que você mesmo construiu


“Você não é uma gota no oceano… Você é todo o oceano em uma gota.” – Rumi


Como você me trata é o seu karma, como eu reajo é o meu


Mude seus pensamentos e você muda seu mundo


14 de setembro de 2012

Extensão da coluna


Nossas tarefas diárias geralmente envolvem movimentos de flexão da coluna (dobrando-a pra frente). Esses movimentos alongam as costas e a parte posterior da coluna vertebral. Raramente dobramos a coluna pra trás. As extensões da coluna (ou retroflexões) alongam o tronco em um movimento côncavo e são muito importantes, com a coluna anterior alongada, o sangue circula mais livremente. A abertura do peito nessas posturas energiza os pulmões e a respiração se torna profunda como resultado do sangue oxigenado que circula por todo o corpo. As flexões (pra frente) preparam a coluna para os movimentos das extensões, por isso aprendemos primeiro posturas de flexão.

Alguns exemplos de Posturas de Extensão da Coluna:



Ustrasana

Urdhva Mukha Svanasana

Dhanurasana

Urdhva Dhanurasana



B.K.S. Iyengar praticando retroflexões em Puna, Índia, em 1991. Aos 72 anos de idade!






16 de julho de 2012

A Saúde é Vibrante!


Entrevista com Guruji Yogacharya BKS Iyengar sobre yoga terapia
(Entrevistado por Rajvi H Mehta em 2002 para a revista Yoga Rahasya)

Guruji, como você define yoga terapêutico?

Terapia lida com o corpo, a mente, assim como o ser. Diz respeito a como podemos formar uma metodologia para manter esse corpo, mente e inteligência funcionando coordenadamente com as várias funções estruturais. Yoga exerce papel importante em educar as pessoas a partir da periferia do corpo, com objetivo de alcançar as áreas mais internas, o que você pode chamar de mim, “eu”, ou ser divino. Todos os problemas surgem deste “eu” ou mim.

Atualmente o homem comum não entende o vedanta do yoga. Vedanta do yoga é unir o corpo, a mente e a inteligência com o suporte da consciência, assim todos eles se tornam uma única faceta do homem. A unidade acontece sem nenhuma divergência.

O corpo fala uma coisa, a mente fala uma coisa, as emoções falam uma coisa, o intelecto fala uma coisa. Então essas variantes que são comuns a todos, perturbam a harmonia da força vital, que comumente chamamos de saúde. Se há uma perturbação na força vital chamamos de má saúde. Essa força vital é influenciada pelas nossas ações e reações físicas, emocionais e intelectuais, que ocorrem dentro de nós ou em resposta ao mundo exterior. Não é fácil permanecer em um estado ritmado e equilibrado, apesar de esperarmos isso do yoga. Yoga terapêutico é uma terapia de vedanta, mas não uma terapia física como é comumente entendido. Significa entrar no âmago da causa dos males e desequilíbrios que geram a dor; tocá-lo e criar um ritmo. É terapia filosófica e não física.

Como você acabou de dizer Guruji, as pessoas ainda tendem a interpretar erroneamente que yoga terapia é uma extensão da fisioterapia já que trabalhamos no corpo através de asanas. Você gostaria de esclarecer esse engano?

Se a ciência moderna nomeia a performance de alguns movimentos como fisioterapia não significa que você também tem que nomear algo como o yoga como yoga terapia. Terapia começa no momento em que nascemos. Se você está levando uma vida imoral então precisa mover-se à uma vida moral, a um código ético de vida. Isso não é terapia? Sim. Então como podem as pessoas compararem yoga terapia e fisioterapia? Essas palavras são apenas fantasias para confundir as pessoas.

A força vital precisa ser cultivada. O ferro enferruja se não é usado. Assim também nossos corpos fisiológico, emocional, intelectual e mental se enferrujam. A vida se torna negativa quando se enferruja, porque a força vital não se movimenta através de todo o sistema gerando os ingredientes de vida nele. Não considero que nenhuma parte do yoga, como asana, pranayama e dhyana são terapias. Elas trazem um crescimento para o indivíduo alcançar seu nível de harmonia na vida.

A saúde é dinâmica, como venho falando constantemente. Saúde é uma força vivente. Saúde não é estática. Você não precisaria trabalhar nada se a saúde fosse estática. Saúde é movimento, como a mente está se movendo, o sistema interno celular do corpo também move-se. Então não existe nada além de movimento no corpo, seja dentro ou fora da mente. Se o movimento é vibrante e dinâmico, então a vida se move; saúde se move com a força vital positiva adicionada a ela. Por isso, saúde não pode se restringir a estar livre de doenças. Saúde não é apenas psicossomática. A força vital é a criação de Deus: não tem mente, não tem corpo. Ela se move e por isso é chamada vibrante.

E como a saúde é vibrante, temos que nos manter trabalhando nela, para que não nos tornemos enferrujados em nossa maneira de pensar e em nossa maneira de agir. Temos que canalizar a energia. As doenças se estabelecem quando a energia não se move. Por isso, não acho justo chamar toda essa ciência do yoga, que nos diz como utilizar essa energia através do poder intelectual, de terapia.

Sinto que é uma palavra errada que começou a ser usada e é um grande problema em como explicar às pessoas. Suponhamos que você está quieto e seu corpo e sua mente não estão funcionando, ainda assim não existe algo movendo-se em seu corpo? É isso que precisa ser trazido a superfície. Isso funciona como um poder que mantém o homem interior, o “eu”ou o ser, em um estado de felicidade mesmo após as reviravoltas emocionais e ambientais da vida.

Patañjali diz, “Prevenção é melhor que cura”. Se você pode prevenir que os elementos agressivos entrem no seu corpo com yoga, então como você chama yoga de mera terapia que cura doenças? Um precisa ser livre de desarmonias no corpo: a circulação sanguínea, o movimento da respiração e a circulação de energia. Temos os diferentes sistemas, o corpo neurológico, o sistema respiratório e o sistema circulatório. Eles todos existem, mas yoga ajuda a usá-los nos níveis mais altos para obter um efeito ótimo e você sente a saúde no corpo, mente e no ser. Estou falando do pequeno ser, que é o ego, o “eu” ou mim. Não estou falando de Atman. Considero yoga uma ciência que ativa a bioenergia (prana shakti) e a Força Cósmica Universal (visva caitanya shakti). Por isso, considero yoga uma ciência que faz  prana shakti e visva caitanya shakti trabalharem juntas com coordenação. Eles existem, mas precisam ser ativados. Se você os ativa, então é como o rio Ganga. Se não, é como um rio local, que tem água quando chove e seca completamente quando não. O sistema de yoga é dado para que esse rio nunca seque.

Com o avanço da tecnologia, a vida do homem materialista está se tornando mais e mais confortável. As pessoas estão sempre a procura de algo mais e por isso expressões como saúde holística, vida espiritual e iluminação estão se tornando muito comuns. É fácil usar tais expressões, mas como você consegue converter estas expressões em experiências?

É filosoficamente falado, “segurança é insegurança e insegurança é segurança”. Você já observou como as pessoas que são completamente seguras vivem? Elas ficam estagnadas; não há força vital nelas para trabalhar. O que você faz se está inseguro? Você trabalha. Você faz de tudo, porque está inseguro. Insegurança é um pilar para o avanço e para o crescimento. Não pegue o significado negativo disso. Segurança é um assassino da força vital enquanto insegurança é um construtor de força vital. Esta é a vida positiva. Insegurança é um pilar para a evolução de cada indivíduo.

Onde estão nos levando os confortos modernos? À falta de movimento, preguiça, negligencia e imprudência. Patañjali já disse isso há mais de 3 mil anos. Yoga nos ensina a ser ricos não somente por fora, mas também internamente. Conforto material é riqueza exterior, mas a pessoa pode estar completamente vazia por dentro. A ciência do Yoga diz, “não venda a riqueza da alma por fortuna material alguma.” Os aparelhos modernos estão tornando as pessoas objetivamente prósperas, mas paupérrimas por dentro. Isso é tudo que o Yoga ensina. Yoga ajuda a construir e adquirir riqueza no corpo, mente e inteligência. Ter uma conta no banco com milhões de Rupias indianas não é riqueza, mas pobreza.

Você não tem nada a expressar, então diz que tem muito dinheiro. Aquele que é pleno internamente expressa o que é. Yoga é também uma terapia intelectual se alguém ainda quer taxá-lo como terapia.

Yoga transforma as pessoas emocionalmente, intelectualmente e psicologicamente e ainda desenvolve estabilidade. E a partir dessa estabilidade desenvolve dinamismo.
Estabilidade não é o fim da vida. Estabilidade tem que ser positivamente dinâmica para mover-se a diante como um rio, que é cheio de energia de força do começo ao fim.

Guruji, por favor expresse sua visão sobre os shat kriyas?

Você deve compreender que esses tratamentos não estavam presentes na época de Patañjali e foram introduzidos mais adiante. Patañjali não explicou nenhum deles. Ele apenas falou de asana e pranayama. Os yoguis mais modernos introduziram os kriyas. Por que? Você acabou de mencionar que algumas amenidades modernas estão gerando doenças. Mesmo naquele tempo, o conforto material já trazia algumas doenças. Não havia tratamentos cirúrgicos naquela época então esses tratamentos radicais foram introduzidos.

Até mesmo hoje na medicina alopática, existem os tratamentos convencionais e os não convencionais. Tratamento convencional é o com remédios e o não convencional é o cirúrgico. Até mesmo em yoga temos os tratamentos convencionais e os radicais. O Hatha Yoga Pradipika, que descreve tais tratamentos radicais, também menciona a quem eles devem ser aplicados. Até hoje, encontramos situações onde um médico quer fazer uma cirurgia enquanto outro prefere o tratamento com remédios e não quer cirurgia. Muitos médicos não são a favor de uma cirurgia como primeira opção, enquanto nenhum cirurgião vai querer esperar. Hoje, se me permitem dizer, o conhecimento tornou-se um ganha dinheiro. Então algumas vezes garantir o ganha dinheiro é o motivo que leva as cirurgias. O Hatha Yoga Pradipika também diz para usar os kriyas para doenças que não podem ser controladas por outros meios. Hoje, tornou-se um importante princípio. Quem é o culpado por isso? Se não há catarro depositado em seus pulmões, então qual é o uso de se fazer dhauti?

Por favor, note que existem tratamentos de yoga convencionais e não convencionais, que foram introduzidos nos livros de hatha yoga. Os tratamentos não convencionais foram introduzidos posteriormente com o aparecimento e crescimento de certas doenças. Anteriormente não havia a necessidade de neti, dhauti, vasti, trataka e kapalabhati. Até hoje, pesquisas são feitas. Novas coisas são descobertas. Novos sofrimentos aparecem e novos tratamentos surgem quando são necessários. Os kriyas foram ensinados naquele tempo. Agora, não precisamos mais deles.

Pesquisas estão sempre acontecendo. Temos que praticar para reintroduzir algumas ações profundas no mesmo asana que já era praticado nos tempos mais remotos. Novas coisas devem ser adotadas no mesmo sistema de asanas e pranayamas. 

29 de junho de 2012

Shala Rosa em Julho

Confira a grade de horários de aulas em Julho e venha praticar!

P.S. No dia 9 (2ª feira), não haverá aula às 19h15 por causa do feriado.

Daniela Santa Rosa
Professora Certificada de Iyengar Yoga
dani@shalarosa.com.br

23 de junho de 2012

Comprimento comparativo em Yoga

Mais um vídeo com B.K.S. Iyengar (em inglês).



Segundo os produtores, esse vídeo é: "uma ilustração do conceito de 'comprimento comparativo', um conceito chave em Iyengar Yoga. O vídeo foi feito em Pune, India, durante o outono de 2009. Para mais, visite roadstobliss.com

13 de maio de 2012

Feliz dia das Mães Árvores

As árvores mães conectam a floresta
Nesse dia das mães, expanda sua noção de “mãe”. Nesse modelo real de resistência e regeneração das florestas, a professora Suzanne Simard mostra que todas as árvores em um ecossistema de floresta são interconectadas com a maior, mais antiga “árvore mãe”, que serve como uma central de conexão, tipo um provedor de internet.
A troca subterrânea de nutrientes aumenta a sobrevivência das árvores mais jovens conectadas a rede de árvores mais velhas. Surpreendentemente, descobrimos que na floresta, 1+1= mais que 2.

extraído do KarmaTube (http://www.karmatube.org)

Leia a tradução livre do vídeo abaixo.

Lettering: As árvores se comunicam?
Minha pesquisa mostra que elas estão se comunicando, é um método de comunicação. Essas plantas não são indivíduos, no sentido pensado por Darwin, competindo pela sobrevivência. De fato, elas estão conectadas tentando ajudar na sobrevivência uma das outras.
Lettering: Uma rede que engloba toda a floresta no subsolo.
Sou especialista em florestas e pesquiso as comunidades abaixo do solo. Descobrimos que essa corrente de fungos vai  conectar uma planta a outra.
Essa árvore aqui tem raízes indo pra todas as direções e se nos afastarmos um pouco mais dela vamos encontrar  as raízes que estiveram envolvidas nessa troca.
Isso é onde a corrente de fungos busca por nutrientes. As árvores mandam o seu gás carbônico que vai através das raízes até a corrente de fungos e tem uma interface entre as células das raízes e a dos fungos que as envolvem e é aí que essa troca ocorre. Então, a metros de distância temos uma planta conectada a outra mandando compostos químicos onde eles se fazem necessários.
Lettering: Mãe árvore.
A árvore mãe é a maior e mais antiga, é aquela que chama a sua atenção quando você entra em uma floresta. Esta aqui tem uns 500 anos de vida. É uma árvore massiva que tem uma rede enorme conectada a ela. Nós poderíamos pensar que ela é a árvore mãe por ser a dominante da floresta, provavelmente conectada com todas as outras árvores ao redor, mesmo de outras espécies. Essa árvore está provavelmente ligada às árvores até onde nossa vista alcança e as árvores que estão mais próximas fazem a ponte entre elas.
Os ecossistemas das florestas são sistemas complicados,  da mesma forma que a Terra tem um sistema complicado, a Biosfera. E o que acontece é que temos todas essas partes trabalhando juntas como os fungos trabalhando com as árvores.exatamente como nosso cérebro funciona. Nas redes  nervosas que são compostas de neurônios e axônios, os neurônios estão fisicamente relacionados e também metafisicamente relacionados, porque estão mandando mensagens para cá e pra lá como no ecossistema da floresta. Então essa floresta, onde fungos e árvores trabalham juntos, permite uma serie de estruturas. Essa estrutura é expressada em uma variedade enorme de espécies e a diversidade é o que dá a floresta a resistência para suportar eventos inesperados como incêndios que possam acontecer ou pragas de insetos.
Lettering: O legado perdido
Algumas praticas que viemos adotando não levavam em consideração o papel das árvores mães e no legado que elas poderiam deixar para as futuras gerações de árvores jovens. Nós não prestávamos atenção a isso. O que fazíamos era cortar essas árvores depois que elas morriam para fazer duas camas delas e nós não dávamos a elas a chance de devolver algo a comunidade. O que essas árvores que estão morrendo fariam seria mover recursos  para as árvores novas antes de morrerem.
É a transferência de uma geração para a próxima se permitirmos que isso aconteça.

video

5 de março de 2012

...Inícios e fins...


Sincronicidade
Quando se move do mais grosseiro ao mais sutil, o início não é visto, nem o fim. *
* Frase do mês de Fevereiro do Calendário 2012 em comemoração aos 93 anos de BKS Iyengar.

Hoje dei aula pela última vez na escola da minha querida Rosana Seligmann. Os encerramentos são sempre difíceis ainda mais quando estamos felizes naquilo que deve ser finalizado. Por dois anos, dei aulas às 2ªs feiras lá e gostava muito da turma, da escola, de tudo.
Estou saindo, porém, por uma boa causa, para me dedicar ao meu espaço de yoga, o Shala Rosa.

A partir de Março ofereço mais 2 horários à noite no Shala Rosa e estou estudando a abertura de 2 de manhã.

Confiram a nova grade de horários:

2ª feira: 19h15 às 20h45
3ª feira: 19h30 às 21h
4ª feira: 19h15 às 20h45
5ª feira: 19h45 às 21h
Sábado: 10h às 11h30



Informações sobre investimento e endereço, mande um e-mail para daninaestrada@gmail.com ou ligue para 8263.3847.

नमस्ते 



27 de fevereiro de 2012

retirada no carnaval

Acabei de voltar de mais um retiro de Carnaval com Karin O'Bannon em Forianópolis. Uma semana de uma rotina deliciosa: meditação e pranayama cedinho; café da manhã; pratica de asanas; pausa para o almoço e descanso; grupo de estudo dos Yoga Sutras de Patañjali; e em seguida pratica pessoal com a ajuda da Karin e do Pedro Pessoa. Ainda deu para visitar duas vezes a quase deserta – mesmo no feriadão – praia do Moçambique e agradecer a Iemanjá tomando banho em suas águas geladas!
Retirar-se é sempre muito bom, a gente fica mais conectado com as sutilezas do nosso ser a cada despertar, a cada inspiração com atenção, a cada movimento do corpo. Retirar-se com a Karin e com esse grupo de amigos queridos é ainda mais gratificante! Como o Pedro falou no encerramento do retiro, a Karin nos ensina muito mais do que técnicas, ela nos ajuda a viver o yoga e não apenas praticá-lo.

औं नामः शिवाय

Mais informações sobre os próximos retiros, consulte http://iyengaryogafloripa.com.br/, site dos queridos amigos e excelentes professores Camila do Valle de Lucca e Pedro Pessoa.
 


                                                    हरे कृष्ण हरे कृष्ण कृष्ण कृष्ण हरे हरे

29 de janeiro de 2012

O Rei dos asanas: Sirsasana

As invertidas (lê-se Salamba Sirsasana e Salamba Sarvangasana) são posturas muito importantes, apesar de difíceis de fazer. Segundo Geetaji em seu livro Yoga, a gem for women, “é essencial dominar as invertidas e suas variações para tornar nossas vidas materialmente e espiritualmente bem sucedidas. Elas podem ser comparadas a nossos pais que nos ajudam, nos guiam e fazem de nossas vidas um sucesso.” Salamba Sirsasana é considerado o pai, enquanto que Salamba Sarvangasana, a mãe. Antes de aprender Sirsasana, a invertida sobre a cabeça, devemos saber fazer Sarvangasana, a invertida sobre os ombros.

Sirsasana é Tadasana de cabeça para baixo e uma das maneiras de se aprender Tadasana é de costas para parede. Da mesma forma, o iniciante pratica Sirsasana inicialmente contra a parede para aprender o alinhamento e as ações sem se preocupar com o equilíbrio. Uma opção para quem sente medo nas posturas invertidas é praticar Sirsasana em uma quina de parede, assim o corpo mantêm-se mais facilmente perpendicular ao chão. Com o ganho de força e amadurecimento das ações, começamos a nos afastar da parede, experimentando o equilíbrio até poder permanecer no meio da sala por alguns minutos. Finalmente, quando conseguimos permanecer estáveis na postura por alguns minutos, somos introduzidos às variações do ciclo de Sirsasana. 
A invertida sobre a cabeça produz as mais variadas reações nos alunos, tem os que no primeiro dia já querem pular etapas e ir direto pro meio da sala e outros que não largam a parede em anos e anos de pratica. Essa é uma das razões de ser fundamental praticar acompanhado de um professor experiente, que conhece sua pratica e pode te guiar tanto pra parede como pra fora dela. 
Na variação nas cordas podemos permanecer por mais tempo, nos beneficiando ainda mais com os efeitos de Sirsasana (leia texto abaixo). E a postura feita nas kuruntas deixa todo mundo fascinado! Respeitando as contra-indicações (leia texto abaixo) e observando as condições gerais de cada aluno iniciante, acho importante apresentar a postura nas kuruntas antes de praticá-la no meio da sala, o que requer mais tempo de pratica e amadurecimento.
Sinto que guiando cuidadosamente cada aluno iniciante tanto para entrar na postura como na saída das kuruntas,  os ajudo a perder o medo de ficar de ponta cabeça de uma maneira lúdica. 
aula do sábado 21/01
olha só o sorrisão do meu afilhado em Sirsasana na kurunta!

a primeira vez a gente nunca esquece!
 
Benefícios de Sirsasana:

Traduzido do livro Yoga, a gem for women, de Geeta Iyengar

Sirsasana é chamado de “O Rei dos Asanas”. Como o rei governando seus súditos, o cérebro governa os numerosos sistemas do corpo. Ele é o controlador do intelecto, da vontade, da memória, da imaginação e do pensamento. A origem dos três gunas é no cérebro e a cabeça é o centro da qualidade sáttvica. Ele controla o intelecto e a discriminação. Por isso, um cérebro dominado por sattva pode funcionar com clareza.   
Sirsasana estimula o abastecimento de sangue no cérebro e o torna fresco e saudável. Esse sangue ativa as glândulas pituitária e pineal, que afetam na saúde, vitalidade e desenvolvimento do nosso corpo. É um dos asanas mais revigorantes.
A pratica da invertida sobre a cabeça, se corretamente executada, rejuvenesce e revitaliza todo o corpo. A posição de cabeça pra baixo contrapõe os efeitos da posição normal de cabeça pra cima nos órgãos internos, que têm a tendência de colapsar e assim se tornar mais lentos e preguiçosos. Sirsasana gentilmente os leva a uma nova vida.  
O corpo se mantém morno com o aumento da circulação sanguínea, a hemoglobina do sangue aumenta e a respiração e a digestão melhoram.

Algumas doenças simples como resfriados, tosses, garganta inflamada e dor nas costas são curadas com a pratica de Sirsasana.
Entretanto, os maiores efeitos da invertida sobre a cabeça são no cérebro, e qualquer um sofrendo de cansaço, de perda de vitalidade física e mental, de intelecto pobre e de baixa força de vontade, deve praticar Sirsasana religiosamente e regularmente para ganhar clareza e força mental e intelectual.  
Resumindo, Sirsasana desenvolve o corpo e disciplina a mente pra nos tornarmos equilibrados.


Cuidados e contra-indicações: a prática constante de Sirsasana mal feito, sem as ações e alinhamento corretos, pode machucar o pescoço ou acentuar problemas já existentes. Observe também as contra-indicações: pessoas com pressão alta nos olhos (Glaucoma), problemas nos ouvidos e na coluna cervical (pescoço), pressão sanguínea alta (que não toma medicação) e mulheres no período menstrual não devem praticar a postura.

E lembrem-se, pratiquem regularmente com um professor!