palavras do Guruji

Dani na estrada

viagens pelo mundo afora e pelo universo dentro de mim.



"Você não precisa viajar a um lugar remoto para buscar a liberdade; ela habita seu corpo, seu coração, sua mente, sua Alma. A emancipação iluminada, a liberdade, a pura e imaculada felicidade estão a sua espera, mas você precisa escolher embarcar na jornada interior para descobri-las."
B.K.S. Iyengar em Luz na Vida

21 de julho de 2015

4X Yoga Sūtras de Patañjali

Quer entender o conceito de alguns termos em sânscrito que escuta durante as aulas de yoga? Tem vontade de levar sua prática para além dos limites do seu tapetinho? Se a resposta foi sim à uma ou às duas perguntas acima, é chegada a hora de se aventurar pela leitura dos Yoga Sūtras de Patañjali, obra clássica do Yoga, que alicerça todas as técnicas que você pratica.

O Yoga é considerado um dos seis sistemas filosóficos (darśanas) ortodoxos da Índia e os Sūtras do Yoga formam a obra fundamental deste sistema. Patañjali teria sido o compilador da obra em língua sânscrita, que deve ter sido escrita ou reescrita entre os séculos III e V d.C.
  
Confira a seguir quatro boas traduções dos Yoga Sūtras de Patañjali



Um bom ponto de partida para o estudo dos Yoga Sūtras é a tradução direta do sânscrito para o português lançada pela editora Mantra neste ano. “Os Yoga Sutras de Patanjali, texto clássico fundamental do sistema filosófico do Yoga” traz versão integral em sânscrito e em português. A tradução e os comentários são de Carlos Eduardo G. Barbosa, que é instrutor de língua e cultura sânscritas. O livro é curtinho e apresenta uma visão geral sobre o assunto.


Se você pretende se aprofundar no estudo da filosofia do Yoga e lê em inglês, a melhor pedida é “The Yoga Sūtras of Patañjali”, de Edwin F. Bryant, ainda não publicado no Brasil. O grande diferencial deste livro é que, além de traduzir os sūtras, o autor contextualiza a obra e acrescenta trechos dos comentários dos principais comentadores do texto original. Considerando que a obra original é muito antiga e que Patañjali escreveu usando o sistema de sūtras (encadeamento de versos superconcisos para facilitar a memorização), saber a interpretação do texto original dos principais comentadores é fundamental para o entendimento da obra. Bryant é professor de filosofia e religião Hindu nas Universidades Columbia e Harvard e consegue transcender a abordagem excessivamente técnica do yoga acadêmico, sem perder profundidade e rigor. Uma curiosidade: B.K.S. Iyengar assina o prefácio do livro. 


A Ciência do Yoga”, de I. K. Taimni é uma boa tradução dos Sūtras do Yoga disponível em português. Foi com ele que iniciei meus estudos mais profundos quando cursava a formação em Iyengar Yoga com o professor Kalidas. Quem comandava as aulas de Filosofia do Yoga era o professor Collaço Veras e foi ele quem nos apresentou o autor Taimni (1898-1978), um indiano que estudou e viveu na Inglaterra. Em sua obra, Taimni faz um estudo comparativo da Ciência moderna com a clássica e primeira compilação da disciplina do Yoga, os Yoga Sūtras de Patañjali. I.K. Taimni também é autor de outros títulos relacionados ao Yoga lançados em português como os “Shiva-Sūtras”  e “ Gayatri, o Mantra Sagrado da Índia”.


A tradução e os comentários de B.K.S. Iyengar sobre os Yoga Sūtras de Patañjali ainda não foi publicado em português. É leitura fundamental tanto para os praticantes de Iyengar Yoga interessados na filosofia do Yoga, quanto para os estudiosos dos próprios Yoga Sūtras, pois contêm a interpretação do texto original de Patañjali baseada nas vivências e experiências práticas do Iyengar com āsana, prāṇāyāma e meditação.
O livro pode ser encontrado em inglês com o título “Light on the Yoga Sūtras of Patañjali”, em espanhol como “Luz sobre los Yoga Sutras de Patanjali” (segundo o site da Livraria Cultura está esgotado no fornecedor) e em outros idiomas.

Nenhum comentário: